1887

Abstract

Em regiőes petrolíferas envolvendo águas profundas e ultra-profundas, como é o caso do pré-sal brasileiro, é comum que a camada de água responda por 30 a 40% do modelo geofísico adotado. Nestes casos, a utilizaçăo de operadores de Diferenças Finitas (DF) acústicos para simular a camada de água, acoplados a operadores elásticos para simular as camadas de rocha, se torna vantajosa. Neste trabalho apresenta-se uma estratégia e ciente para o acoplamento acústicoelástico combinando o esquema acústico chamado de ESG (equivalent staggered grid) e o esquema tradicional de malha intercalada (SSG). Trata-se de um acoplamento explícito de fácil implementaçăo, onde as respostas numéricas equivalem ŕs do esquema SSG. As vantagens deste acoplamento săo demonstradas através da modelagem utilizando o modelo Marmousi2 com camada de água estendida (compondo 35% do modelo), caso este onde se observou uma economia de cerca de 20% em memória e tempo de processamento.

Loading

Article metrics loading...

/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.30
2012-11-27
2021-11-29
Loading full text...

Full text loading...

http://instance.metastore.ingenta.com/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.30
Loading
This is a required field
Please enter a valid email address
Approval was a Success
Invalid data
An Error Occurred
Approval was partially successful, following selected items could not be processed due to error