1887

Abstract

O processamento sísmico de dados de re exăo convencional para obteçăo de imagens da sub-superfície inclui um fator de correçăo mediante a equaçăo do tempo de propagaçăo da onda (fonte - re etor - receptor), sendo que esta equaçăo representa uma hipérbole para um meio isotrópico. Um modelo matemático mais próximo da realidade é um meio transversalmente isotrópico (ou VTI), e que pode ser representado com dois parâmetros: a velocidade NMO (Vnmo) e o parâmetro de anelipsidade ( ) associado ŕ uma curva năo hiperbólica na equaçăo do tempo de propagaçăo. A interpretaçăo sísmica destas imagens em meios geologicamente complexos é geralmente uma tarefa complicada, uma vez que esses meios se comportam como meios anisotrópicos, mas săo processados ignorando a anisotropia. Neste trabalho é revista a metodologia para a análise de velocidade considerando dados sísmicos adquiridos em meios com anisotropia. Depois, para um modelo sintético, é feita uma comparaçăo na análise de velocidade considerando um meio com anisotropia e outro sem anisotropia. Por m, a metodologia para a medida de anisotropia é aplicada a um dado real 2D terrestre do Campo de Tenerife na Colômbia.

Loading

Article metrics loading...

/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.39
2012-11-27
2024-06-17
Loading full text...

Full text loading...

/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.39
Loading
This is a required field
Please enter a valid email address
Approval was a Success
Invalid data
An Error Occurred
Approval was partially successful, following selected items could not be processed due to error