1887

Abstract

Na literatura, podemos encontrar diferentes áreas de pesquisas que utilizam a decomposição espectral tempo-frequência. Tais mapas permitem que seja feita uma analise da variação do conteúdo espectral do sinal em função do tempo. Na sísmica, esta técnica é largamente usada na exploração e monitoramento de hidrocarbonetos (Sinha et al., 2005; Wu e Liu, 2009; Liu e Fomel, 2012). Como exemplos mais específicos de aplicações destes mapas podemos citar a detecção direta de hidrocarbonetos (Castagna et al., 2003), visualização estratigráfica (Maklad e Dirstein, 2007) e sísmica time-lapse (Rojas, 2008). A representação da densidade de energia de um sinal em um mapa tempo-frequência não é única e nenhum método é capaz de reproduzir o verdadeiro conteúdo de frequência do sinal em função do tempo. Dependendo da aplicação, cada método tem suas próprias vantagens e desvantagens. Neste trabalho é realizado um estudo comparativo da decomposição espectral baseada na transformada contínua de wavelet e da decomposição espectral baseada na distribuição de Choi-Willians, que é um método teoricamente capaz de produzir mapas tempo-frequência de resolução superior. Em seguida, o atributo frequência instantânea é calculado. Devido este ser um atributo muito instável, propõe-se a estimativa de uma frequência “local” derivada a partir dos mapas tempo-frequência. Este atributo é então usado para analisar a resposta da mudança da impedância e do fator q entre um dado base e o dado monitor.

Loading

Article metrics loading...

/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.75
2012-11-27
2021-11-27
Loading full text...

Full text loading...

http://instance.metastore.ingenta.com/content/papers/10.3997/2214-4609-pdb.341.75
Loading
This is a required field
Please enter a valid email address
Approval was a Success
Invalid data
An Error Occurred
Approval was partially successful, following selected items could not be processed due to error